No data was found

Rondônia reduz ICMS sobre combustíveis, energia elétrica, transportes e telefonia que passam a ser tributados como serviços essenciais

images (20)

Está definido o teto da alíquota do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação – ICMS em 17,5% sobre combustíveis, energia elétrica, transportes e telefonia no Estado de Rondônia. Após aprovação da Lei Complementar Federal n° 194, de 23 de junho de 2022, passa-se a considerar esses itens como serviços essenciais; faltando apenas a alteração da lei estadual para entrar em vigor no Estado.

Na última terça-feira (28), o Governo de Rondônia encaminhou à Assembleia Legislativa do Estado – ALERO, o projeto de lei solicitando a alteração da Lei Estadual n° 688, de 27 de dezembro de 1996,  para que esses serviços passem a ser tributados pela alíquota modal, os 17,5% definidos. A proposta do Executivo Estadual foi aprovada pela Casa de Leis no mesmo dia.

É importante destacar que nesse caso, a redução das alíquotas é decorrente da Lei Complementar Federal, logo não há a necessidade de se realizar os estudos da estimativa do impacto no orçamento, tampouco demonstrar medidas de compensação com relação à renúncia de receitas.

As  mudanças no Estado acompanham os esforços do Governo Federal para atenuar o impacto da alta dos preços de bens essenciais à população. De acordo com o governador de Rondônia, Marcos Rocha, a agilidade ao estabelecer o teto do ICMS sobre os bens e serviços é o cumprimento do compromisso em avançar com as questões econômicas do Estado. “Seguimos com nosso propósito de fortalecer a economia e alavancar o Estado de Rondônia”, reforça Marcos Rocha.

A partir de agora, as tributações de produtos como gasolina e álcool que tinham o percentual estabelecido em  26%, telecomunicações 35%, e energia elétrica que variava de acordo com o consumidor; de 17% a 20%, passam a operar em 17,5%.

No caso do gás, que é 12%, e do diesel, que já tinha benefícios concedidos pelo Governo com redução de 25% para 17%, como a cobrança está abaixo da estabelecida, nada muda.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Notícias relacionadas

Produtos

No data was found