No data was found
No data was found

Idoso que morreu esmagado por carreta na BR 364 em Vilhena, saiu do Rio de Janeiro para conhecer o Brasil

Sem título

Um  homem de 72 anos, identificado como Jeová Queiroz, morreu esmagado por uma carreta em  uma das rotatórias mais movimentadas e perigosas de Vilhena: a que fica em frente o posto Nacional, e de onde os veículos saem da BR 364 para acessar a avenida Celso Mazutti, onde aconteceu a fatalidade. O acidente foi registrado no início da tarde desta terça-feira, 21, quando o idoso trafegava em sua bicicleta e o veículo de carga o atingiu. O motorista não teria visto o ancião, tanto que só foi alcançado quando já estava no bairro Cristo Rei, a vários metros do local do fato. Bombeiros chegaram a ser mobilizados, mas quando chegaram ao local, Jeová, que teve uma das pernas dilaceradas, já estava sem vida. Ontem mesmo, o FOLHA DO SUL ON LINE mostrou um acidente naquele local e alertou sobre os perigos no trânsito daquele trecho.

O idoso que morreu esmagado por carreta saiu do Rio deJaneiro para conhecer o Brasil
e passou por várias cidades até chegar em Vilhena Jeová Queiroz morava em Casa de Apoio desde dezembro de 2020
Em contato com o FOLHA DO SUL ON LINE, a direção da Casa de Apoio Amor e Vida, entidade beneficente
que acolhe pessoas em situação de vulnerabilidade em Vilhena, lamentou a morte de um de seus
colaboradores, Jeová Queiroz, esmagado por uma carreta na tarde desta terça-feira, 21 (VEJA AQUI).
A instituição revelou que o ancião chegou em Vilhena em dezembro de 2020, e foi recebido na Casa, onde
passou a morar desde então. Ativo e alegre, ele ajudava a acolher outras pessoas que eram atendidas no
local, que se mantém com a ajuda e o trabalho voluntário de várias pessoas. Também saía com
frequência na bicicleta que havia comprado para andar pela cidade.
Morador da área rural do Rio de Janeiro, Queiroz se separou da esposa e mudou-se para a capital
fluminense. De lá, já aposentado, decidiu percorrer o Brasil e passou por várias cidades de diferentes
Estados até chegar em Vilhena.
Ainda abalados, os funcionários e voluntários da Casa de Apoio farão o velório do amigo na Capela
Mortuária e o sepultarão em Vilhena, cidade que adotou o simpático Jeová.

Fonte; folhadosulonline.com.br

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Notícias relacionadas

Produtos

No data was found